Governo de SP anuncia investimento de R$ 114 milhões em merenda escolar

Recursos vão bancar reajuste no valor per capita da merenda oferecida pelos municípios conveniados, além de custear incrementação no cardápio e incluir expansão das PEIs

O governador João Doria e o secretário Estadual da Educação Rossieli Soares anunciaram nesta quinta-feira (19) o investimento de R$ 114 milhões na merenda escolar.

Os recursos vão cobrir um reajuste do valor pago por aluno destinado à merenda em mais de 80% dos municípios. Além disso, o investimento vai servir para custear uma incrementação no cardápio e bancar as despesas relacionadas à merenda das novas escolas do Programa de Ensino Integral (PEI) que serão implementadas a partir de 2020.

Na rede regular, o valor de merenda por aluno terá um aumento de 20% e passará de R$ 0,94 para R$ 1,14. Já no ensino integral, os valores sairão de R$ 3,68 para R$ 3,73, por estudante.

O reajuste vai beneficiar 1,1 milhão de alunos da rede estadual que recebem a merenda escolar de forma descentralizada, por meio de 524 municípios paulistas. Os demais 2,4 milhões de estudantes que compõem a rede recebem a merenda escolar diretamente da Secretaria da Educação.

Para ter acesso ao valor reajustado, os municípios devem solicitar a demanda por meio de convênios com a Seduc em uma sistema on-line. As análises também serão feitas de forma virtual para agilizar o processo.

Os valores estarão disponíveis a partir de fevereiro de 2020.

Incremento

Prezando pela qualidade da merenda escolar, a Seduc está revisando o cardápio dos itens servidos aos estudantes da rede estadual. Os itens servidos serão mais diversificados e haverá maior oferta de hortifrúti.

Integral

No último dia 13, a Seduc anunciou a maior expansão do ensino integral da história de São Paulo. A partir de 2020, serão 247 novas escolas no Programa de Ensino Integral (PEI).

Nessas escolas, os estudantes se alimentam três vezes ao dia, recebendo uma refeição e dois lanches.